quarta-feira, 21 de março de 2012

A Lingua.

  Uma lenda de Malba Taham.






Um nobre senhor mandou um dia o seu criado ao açougue, dizendo-lhe:
- Traz-me o melhor bocado que lá encontrares.
Para atender fielmente o pedido de seu amo, o servo trouxe-lhe uma lingua. O nobre senhor mandou que suas criadas preparassem aquela lingua, e assim se deliciou com o estranho e apetitoso bocado.
Dias depois, o senhor chamou novamente o servo e recomendou-lhe:
Traz-me agora, do mesmo açougue, o bocado mais desprezivel que encontrares.
O criado foi depressa, pensou, e trouxe mais uma lingua.
Tomado de admiração, o seu senhor indagou-lhe:
Que significa isso: Pedi o melhor bocado, e me troxeste uma lingua; depois pedi o pior bocado e me troxeste também uma lingua?
Então o servo, que era sumamente sábio, explicou-lhe:
- Não me enganei, senhor. É isso mesmo. A lingua é ao mesmo tempo tudo o que há de melhor e tudo o que há de pior no mundo. Pode causar os melhores bens e tudo que há de pior no mundo. Pode causar os melhores bens na boca de uma pessoa boa; e pode causar os maiores males, na boca de uma pessoa má.


                                                                                      Pe. Luiz Cechinato.

Pense Nisso!


Faça seus comentários

Dr. Antonio Branco.

Hidrolândia-Ce, 21 de março de 2012.


Um comentário:

  1. Lingua: O melhor pedaço ou pior pedaço?

    Na sociedade existe dois tipos de pessoas, as que falam para pensar e as que pensam para falar. Muitas vezes quem fala sem pensar paga um preço muito alto.
    As palavras ferinas as vezes ferem mais do que uma facada por exemplo.
    Tem pessoas que levam anos para construir uma boa imagem, um bom nome, as vezes em segundos se destroem, caem através da palavra muitas vezes impensada, maldosa, ofensiva etc..
    A palavra depois de pronunciada não volta atraz. Temos que ter muito cuidado, se não podemos morrer pela a boca, com má utilização de lingua.
    Então use a lingua para causar o bem e não o mal, você é inteligente.

    Pense Nisso!

    Dr. Antonio Branco.

    ResponderExcluir