segunda-feira, 2 de abril de 2012

O que aprendi na vida.

                                         Para você refletir.
Aprendi que não posso fazer que alguém me ame, mas somente converte-me em alguém a quem se pode amar; o resto já depende dos outros.
Aprendi que por mais que me preocupe com os outros, muitos deles não se preocuparão comigo.
Aprendi que se pode levar anos para construir a confiança e unicamente segundos para destruí-la.
Aprendi que o que verdadeiramente conta na vida não são as coisas, mas as pessoas que tenho ao redor.
Aprendi que não devo comparar-me com o melhor que fazem os demais, mas o melhor que eu posso fazer.
Aprendi que há coisas que posso fazer num momento que causam  dor durante toda a vida.
Aprendi que é importante praticar para me transformar na pessoa que quero ser.
Aprendi que é muitissimo facil resistir que pensar.... e mais satisfatório pensar que resistir.
Aprendi que sempre devo despedir-me das pessoas que amo com palavras amorosas; poderá ser a ultima vez que as vejo.
Aprendi que posso chegar muito mais longe do que pensei ser possível.
Aprendi que sou responsável por aquilo que faço, qualquer que seja o sentimento que tenho.
Aprendi que ou eu controlo minhas atitudes, ou elas me controlarão.
Aprendi que dinheiro é péssimo indicador de algo de alguém.
Aprendi que os heróis são as pessoas que fazem aquilo de que estão convencidas, apesar das consequências.
Aprendi que aprender e perdoar requer muita prática.
Aprendi que, com os amigos, podemos fazer qualquer coisa ou não fazer nada e ter o melhor dos momentos.
Aprendi que, às vezes, as pessoas que, creio, me vão chutar quando estou caído são aquelas que me ajudarão a levantar.
Aprendi que, em muitos momentos, tenho o direito de estar enfurecido, mas não o direito de ser cruel.
Aprendi que simplesmente porque alguém não me ama da maneira que eu gostaria não significa que não me ama à sua maneira.
Aprendi que a maturidade tem mais a ver com as experiências do que tive e com o que aprendi delas que com o número de anos que tenho.
Aprendi que nunca devo dizer a uma criança que seus sonhos são tolos; poucas coisas seriam mais humilhantes e que tragédia seria se ela acreditasse no que disse.
Aprendi que por bom que seja o amigo, cedo ou tarde poderia me sentir ofendido por ele e deveria saber perdoá-lo por isso.
Aprendi que nem sempre é suficiente ser perdoado pelos outros; às vezes, tenho que perdoar a mim mesmo.
Aprendi que por mais forte que seja minha dor, o mundo não pára por isso.
Aprendi que, conquanto meus antecedentes e circunstâncias possam  ter influenciado no que sou, sou responsável pelo que termino sendo.
Aprendi que simplesmente porque duas pessoas brigam não significa que não se amam; e simplesmente porque duas pessoas não discutem entre si não significa que se amam.
Aprendi que não tenho que mudar de amigos se entendo que amigos mudam.
Aprendi que há muitas maneiras de se enamorar e permanecer enamorado.
Aprendi que, sem me importar com as consequências, quando sou honesto comigo mesmo, chego mais longe na vida.
Aprendi que muitas coisas podem ser geradas pela mente; o truque é o autodomínio.
Aprendi que ainda que eu pense não poder dar mais quando um amigo pede ajuda, consigo encontar  as forças para ajudá-lo.
Aprendi que o paradigma no qual vivo não é a única opção que tenho.
Aprendi que os títulos na parede não nos transformam em seres humanos decentes.
Aprendi que embora a palavra amor possa ter diferentes significados, ela perde seu valor quando é usada de modo inconsequente.
Aprendi que é muito difícil onde fixar o limite entre não ferir os sentimentos dos outros e defender aquilo em que acredito.
Na verdade, aprendi bastante!

                                                                     William Shakespeare.



Pense Nisso!!

Faça seus comentários.

Dr. Antonio Branco.

Hidrolândia-Ce, 02 de Abril de 2012.

Um comentário:

  1. De todos os mestres o maior mestre é o tempo. Aprendemos muito com o tempo, mas nem tudo aprendemos, pois o conhecimento é ilimitado.
    O texto acima merece uma profunda reflexão, haja visto que por mais que se viva poucas pessoas tem consciência de aprender tudo que está escrito no texto acima. Se aprendessemos mesmo depois dos 40, sem medo de errar o mundo seria bem melhor.
    O tempo é uma questão de preferência. Portanto dê preferência pra continuar aprendendo as coisas da vida em especial o que foi escrito por esse grande gênio William Shakespeare.

    ResponderExcluir